domingo, 24 de julho de 2016

Passo a passo para acessar a ABA DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO no PDDE Interativo - Coordenador/a e Diretor/a de Escola

PASSO A PASSO PARA OS COORDENADORES/AS NAS SECRETARIAS

1º Passo: Acesse a Plataforma do PDDE Interativo - http://pddeinterativo.mec.gov.br
em seguida digite seu CPF e Senha.

2º Passo: Após clicar em entrar, certifique-se de visualizar PDDE Interativo 2015/2016 como mostra abaixo:


3º Passo: Agora é a vez de preencher Programas, Tipo de Esfera de Escola, Estado e Município, clicar em pesquisar e em seguida aparecerá a relação das escolas que poderão fazer adesão ao Programa Mais Educação. A figura abaixo, exemplifica:


PASSO A PASSO PARA OS DIRETORES/AS DE ESCOLA

1º Passo: Acesse a Plataforma do PDDE Interativo - http://pddeinterativo.mec.gov.br
em seguida digite seu CPF e Senha.


2º Passo: Após clicar em entrar, certifique-se de visualizar PDDE Interativo 2015/2016 e confirme os dados da escola, como mostra abaixo:

3º Passo: Clique em PLANO GERAL e em seguida abrirá a aba do Programa Mais Educação, clique sobre ela e inicie o cadastramento das atividades.

ATENÇÃO ESCOLAS - Cadastro das atividades do Programa Mais Educação na Plataforma do PDDE Interativo


Já é possível visualizar a aba do Programa Mais Educação na Plataforma do PDDE Interativo desde o dia 21 de julho de 2016. De acordo com o MEC os recursos serão disponibilizados até o final deste ano para início no calendário escolar de 2017. O MAIS EDUCAÇÃO ESTÁ DE VOLTA. 

Acessem: http://pddeinterativo.mec.gov.br/


Comitê Territorial de Educação Integral do Estado de São Paulo presente no Seminário Estadual da BNCC - 27 e 28/07

UNDIME-SP promoverá seminário para discutir a Base Nacional Comum Curricular nos dias 27 e 28 de julho e o Comitê Territorial de Educação Integral do Estado de São Paulo estará presente.

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) vem sendo construída por profissionais de todas as regiões brasileiras e leva em conta as contribuições de professores, redes de ensino e escolas públicas e privadas e de representantes de movimentos estudantis, associações, comitês, fóruns e demais entidades. Nesse sentido, o comitê estadual da BNCC no estado de São Paulo promoverá nos dias 27 e 28 de julho o seminário para debater a segunda versão do documento. As informações sobre esse assunto constam na chamada pública, divulgada no Diário Oficial do Estado, cujo objetivo é selecionar os participantes para o seminário.

Ao todo foram disponibilizadas 283 vagas e o seminário tem como objetivo analisar a segunda versão do documento preliminar da Base Nacional Comum Curricular, apresentada no último dia 3 de maio de 2016, pelo Ministério da Educação, propondo alterações, supressões e acréscimos ao texto.

A diretoria da UNDIME/SP, fez um excelente trabalho ao incluir nas pré-inscrições os comitês de educação integral de São Paulo, como também, outras comissões e fóruns que discutem educação. 

Participarão deste seminário: Comitê Territorial de Educação Integral do Estado de São Paulo, Comitê Metropolitano de Educação Integral da Baixada Santista e o Polo de Educação Integral do Município de Fartura. 

Seminário de São Paulo sobre a BNCC

Data: 27 e 28 de julho de 2016
Local: Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Professores do Estado de São Paulo ‘Paulo Renato Costa Souza’ – sala 11/ Rua João Ramalho, 1.546 – Perdizes/ São Paulo (SP)

Fonte: UNDIME

quinta-feira, 7 de julho de 2016

PRÉ-INSCRIÇÕES - Seminário Estadual da Base Nacional Comum Curricular - 28 E 29 DE JULHO DE 2016 - ESTADO DE SÃO PAULO

Pré-inscrições para o Seminário Estadual BNCC

Prezado(a),

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é o documento que explicitará os conhecimentos essenciais aos quais todos os estudantes brasileiros têm o direito de ter acesso e de se apropriar durante sua trajetória na Educação Básica e ajudará a orientar a elaboração ou a revisão do currículo das mais de 190 mil escolas de Educação Básica do País.

A BNCC vem sendo construída por profissionais de todas as regiões brasileiras e leva em conta as contribuições de professores, redes de ensino e escolas públicas e privadas e de representantes de movimentos estudantis, associações, comitês, fóruns e demais entidades. Na primeira etapa de construção da BNCC, foram enviadas mais de 12 milhões de contribuições. A partir delas, um segundo documento foi disponibilizado. Agora, cada um dos 26 Estados da Federação e o Distrito Federal estão convidados a realizar o Seminário Estadual sobre a 2ª versão da BNCC para, então, consolidar um relatório com as contribuições, que deverá ser apresentado ao Ministério da Educação.

Seminário Estadual BNCC

No Estado de São Paulo, o Seminário será assim realizado:

• Quando? Dias 27 e 28 de julho de 2016.
• Horário? Das 9h às 17h.
• Local? São Paulo, Capital.
• Participantes? Pré-inscritos classificados conforme regras dispostas em Chamada Pública.

Pré-inscrição

Poderão se pré-inscrever:
• Professores em efetivo exercício no magistério, da Educação Infantil e dos anos iniciais do Ensino Fundamental,  preferencialmente das redes municipais;
• Professores dos anos finais do Ensino Fundamental, preferencialmente das redes municipais e estaduais;
• Professores do Ensino Médio, preferencialmente das redes estadual e federal;
• Professores da rede privada;
• Representantes de movimentos estudantis do Ensino Médio;
• Dirigentes municipais de educação;
• Profissionais da educação em efetivo exercício em unidades escolares (pedagogo, coordenador pedagógico,
orientador educacional, psicólogo escolar, entre outros), das redes municipais e estaduais;
Outros participantes, que representem associações, comissões, comitês, fóruns e movimentos da sociedade civil.

Atenção! O período de pré-inscrições para o Seminário Estadual BNCC será a partir das 12h do dia 5 de julho até as 23h59 do dia 10 de julho de 2016.

Para se pré-inscrever, o interessado deverá seguir estes passos:

  1.  Acessar o hotsite AQUI
  2. Clicar em “Pré-inscrições”;
  3. Ler a Chamada Pública: estar ciente e de acordo em relação a todos os itens;
  4. Ler e analisar a 2ª versão da BNCC; 
  5. Responder ao Questionário Seminários Estaduais;
  6. Clicar no link “Formulário Pré-inscrição”, disponível no menu lateral à direita;
  7. Acessar o formulário de pré-inscrição e clicar na opção “Identificação por e-mail”. Atenção: Utilize um e-mail pessoal, válido e ativo!
  8. Selecionar, dentre os três formulários relacionados, o correspondente ao seu perfil:
    i) Representante de movimentos (incluindo estudantis), de entidades, de associações, de comissões e de fóruns;
    ii) Professor municipal;
    iii) Professor estadual.
    i. Preencher o formulário de pré-inscrição; 
 Classificação
Serão, ao todo, 283 vagas distribuídas entre os diferentes grupos de trabalho e preenchidas conforme regras e critérios dispostos em Chamada Pública. A relação de inscritos será divulgada no hotsite www.escoladeformacao.sp.gov.br/seminariobncc no dia 19 de julho de 2016.
Atenção! Apenas os participantes classificados e relacionados nesta publicação deverão comparecer ao Seminário.

Fique atento(a)!
Para mais informações, consulte o hotsite www.escoladeformacao.sp.gov.br/seminariobncc e, em caso de dúvidas, envie-nos um chamado pelo “Fale Conosco”.

Atenciosamente

Coordenadoria de Gestão da Educação Básica (CGEB)
Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Professores “Paulo Renato Costa Souza” (EFAP)
Realização:
Governo do Estado de São Paulo
Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed)
União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime)

Apoio:
Ministério da Educação (MEC)
Universidade de Brasília (UnB)
Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO)

segunda-feira, 13 de junho de 2016

FNDE - Oficina de Prestação de Contas com transmissão ao vivo - 15 de junho de 2016



Marca do sistema
Oficina de Prestação de Contas será transmitida ao vivo

Imagem ilustrativa
Oficina de Prestação de Contas será transmitida ao vivo
 

Acontece nesta quarta, 15 de junho, nova edição da Oficina de Prestação de Contas. A transmissão do evento acontecerá das 9h às 12hs.

O objetivo da ação é promover o conhecimento técnico do processo de prestação de contas no sistema SiGPC Contas Online no âmbito dos programas e ações do FNDE.
Aos interessados em acompanhar o evento, a transmissão online estará disponível aqui a partir das 8h30 do dia 15.


Para ter acesso ao conteúdo atualize o Adobe Flash e instale o plugin solicitado pelo navegador (preferencialmente Mozilla Firefox ou Google Chrome)


Notícia geral

Ver notícia no e-FNDE

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Carta aos Gestores de Educação Integral/Mais Educação sobre o Programa Mais Educação - 2016



À Secretaria de Estado da Educação de São Paulo
Às Secretarias Municipais de Educação
Aos Departamentos Municipais de Educação
Ao Comitê Metropolitano de Educação Integral de Campinas
Ao Comitê Metropolitano de Educação Integral da Baixada Santista
Ao Comitê Regional de Educação Integral do Oeste paulista
Ao Comitê Regional de Educação Integral de Limeira
Ao Comitê Regional de Educação Integral de Ribeirão Preto
Ao Comitê Municipal de Educação Integral de São Paulo
Aos Polos de Educação Integral de: Fartura e Votuporanga

Ribeirão Preto, 23 de maio de 2016.
Prezados,

Sabemos que os senhores defendem o Programa Mais Educação e o tem como um sonho de alguém que acredita na Escola - Espaço Público e Democrático - é um lugar de integração entre Família/Escola/Sociedade, um caminho para tentar o ideal de uma educação de qualidade para todos. Por esse motivo, o Comitê Territorial de Educação Integral do Estado de São Paulo acredita e luta muito ao seu lado para tornar este programa em uma Política Pública de Educação Integral.
O Governo Federal publicou a PORTARIA Nº 12, DE 11 DE MAIO DE 2016 que reconhece os Comitês territoriais e dá outras providências como:

Art. 1º Os Comitês Territoriais de Educação Integral têm caráter consultivo e propositivo e a finalidade de fomentar, articular e integrar as ações intersetoriais envolvidas com a construção da política pública de educação integral nos territórios.
§2º Os Comitês Territoriais de Educação Integral serão instituídos a partir de ato das secretarias de educação estaduais, do distrito federal ou dos municípios, de acordo com o arranjo territorial estabelecido em cada localidade, e constituem polo de mobilização e apoio ao Programa de Educação Integral nos territórios, de modo a assegurar a representatividade e o diálogo na sua implementação.
Art. 2º A Secretaria de Educação Básica, do Ministério da Educação, reconhecerá, em cada Estado, os comitês territoriais de educação integral.

 Senhores Gestores, a sua capacidade de trabalho, liderança e comprometimento são exemplos para todos e isso serve como estimulo para trilhamos esse caminho, juntos, com respeito às individualidades, às diferenças de ideias e ao pensamento livre e independente.
Orgulha-nos muito ver a sua atuação junto ao Comitê Territorial de Educação Integral do Estado de São Paulo, que agradece o apoio de todos os Secretários e Dirigentes das Secretarias Estadual e Municipal de Educação, Coordenadores de Comitê, Supervisores de Ensino, Diretores de Escola, Técnicos do Departamento Administrativo e a toda equipe, que são a verdadeira alma desse comitê. A vocês, cabem o nosso respeito e nossa reverência e é um prazer vê-los engajados e tão ativos nessa luta por uma escola pública, democrática e de qualidade hoje, imprescindíveis.
Realmente, ainda há muito por fazer, porém, com muito sucesso, muita vontade e muito trabalho certamente farão com que as realizações sejam cada vez maiores e, assim, os alunos poderão conviver, no futuro com uma Escola Pública maior, mais organizada e principalmente mais justa.
Nesse momento, o Programa Mais Educação e ações vinculadas, estão suspensas até a nova gestão assumir as secretarias no Ministério da Educação, ou seja, as escolas não conseguiram visualizar a aba Mais Educação na plataforma do PDDE Interativo e não haverá publicação do Manual Operacional de Educação Integral 2016. Diante disso, solicitamos que aguardem um posicionamento oficial do Ministério da Educação. A UNDIME – SP está acompanhando essas novas mudanças e nos ajudará a divulgar as novas orientações, assim que estiverem disponíveis.
O Comitê Territorial de Educação Integral do Estado de São Paulo possui uma articulação entre 310 municípios. É formado pela parceria das Secretarias Estadual e Municipal de Educação, Comitê Metropolitano de Educação Integral de Campinas – RMC, Comitê Metropolitano de Educação Integral da Baixada Santista, Comitê Regional de Educação Integral do Oeste Paulista sediado por Presidente Prudente, Comitê Regional de Educação Integral de Limeira, Comitê Regional de Educação Integral de Ribeirão Preto, Comitê Municipal de Educação Integral de São Paulo, Polo de Educação Integral de Fartura, Polo de Educação Integral de Votuporanga e Instituições Públicas das esferas Federal, Estadual e Municipal. Nossa constituição é legítima e está destinada a propor, mobilizar, consultar, assessorar e acompanhar as ações e questões inerentes à Educação Integral.
Essa é uma conquista de todos nós e demonstra a importância da Educação Integral para o Estado de São Paulo, que a reconhece e legitima.

Fonte: UNDIME/SP e DICEI/SEB/MEC

sexta-feira, 13 de maio de 2016

FAQ PNAIC 2016 - Resposta sobre a parceria Mais Educação e PNAIC



FAQ PNAIC 2016

Este documento foi elaborado com o objetivo de facilitar a compreensão sobre o funcionamento do programa e reunir as perguntas e respostas mais frequentes referentes ao PNAIC 2016.
Para reduzir a quantidade de e-mails e dúvidas enviadas para nossa secretaria solicitamos por gentileza que verifiquem se as perguntas abaixo atendem o questionamento de V.S.ª. Caso não, solicitamos que envie seu questionamento para um e-mail do coordenador da sua região e aguarde nosso retorno.


A.       Sou coordenador local, o que preciso fazer para que meu município participe do PNAIC 2016?
Primeiramente o Dirigente Municipal de Educação do seu município deve fazer a adesão ao PNAIC 2016, disponível no módulo PAR do SIMEC (http://simec.mec.gov.br), conforme orientações disponíveis neste documento.

B.       Sim, o Dirigente de Educação já fez a adesão ao PNAIC 2016, e agora o que precisa ser feito?
Agora o Dirigente Municipal de Educação precisa cadastrar o coordenador local no PAR, conforme orientações deste documento.

C.       Ok, já fizemos a etapa “C”, mas o Sispacto 2016 ainda não está disponível para mim (coordenador local) o que pode estar acontecendo?
Caso o Sispacto 2016 ainda não esteja disponível para você coord. local, verifique se o Dirigente de Educação já ativou seu perfil no sistema PAR, conforme a seguinte orientação: “Após cadastrar, clique no botão    para ativar o coordenador”.
Caso sim, aguarde até 48h para atualização do sistema.

D.       O Sispacto 2016 já está disponível para mim, posso começar a cadastrar os professores? Quando termina o prazo?
Sim, você já pode começar a cadastrar os professores alfabetizadores, conforme as orientações deste documento.
Obs.: Em contato com o MEC no dia 03/05/2016 nos foi dito que ainda não foi definido prazo final para as adesões ao PNAIC, cadastramento de professores e orientadores de estudo.

E.       Observei que meu município está com um número de vagas muito maior para professores alfabetizadores em relação a 2015, está correto?
O MEC nos informou no dia hoje (03/05/2016) que o número de vagas para professores alfabetizadores foi calculado erroneamente.
A quantidade de vagas foi atualizada hoje (03 de maio) pelos técnicos da SEB, de acordo com o quantitativo de turmas declaradas no EducaCenso.

F.        Sou o novo coordenador local das ações do Pacto no meu município, quais são as normas, documentos, portarias que preciso ter conhecimento para dar andamento nas ações do Pacto no meu município e cadastrar os professores e orientadores de estudo?
É de extrema importância que todos os perfis do Pacto (coord. local, orientador de estudo, etc) conheça a legislação sobre o Programa.

Todos os documentos estão disponíveis no site: http://pacto.mec.gov.br/documentos-importantes

As portarias 153, 154 e 155 de 22 de março de 2016 alteram as portarias abaixo:
        Portaria n° 1458, de 14 de Dezembro de 2012
        Portaria n° 867, de 4 de Julho de 2012
        Portaria nº 90 de 6 de fevereiro de 2013

·              Requisitos necessários para o perfil de coordenador local, orientador de estudo e professor alfabetizador:

a)       Coordenador local: Ler Art. 1º, “Art.9º, da PORTARIA N. 155, DE 22 DE MARÇO DE 2016 e Art. 9 da Portaria n° 1458, de 14 de Dezembro de 2012.
b)       Orientador de estudo: Ler Art 1º, “ Art. 10, da PORTARIA N. 155, DE 22 DE MARÇO DE 2016 e Art. 10 da Portaria n° 1458, de 14 de Dezembro de 2012.
c)        Professor alfabetizador: Ler Art. 2º, “Art. 11-A., da PORTARIA N. 155, DE 22 DE MARÇO DE 2016.

G.       Li as portarias, mas ainda não entendi como funcionará a participação dos professores que estão no exercício da função docente em turmas do 4o ao 9o ano do Ensino Fundamental, atuando em programas de apoio à extensão da jornada escolar com foco nas questões relativas à alfabetização e ao letramento, nas escolas com baixo desempenho na Prova Brasil, identificadas pelo MEC, poderia me esclarecer melhor?

A partir de 2016 três das principais ações do Ministério da Educação passam a formar agora o Programa Integrado de Apoio à Alfabetização e ao Letramento. O objetivo é dar prioridade ao desafio que envolve 10 milhões de alunos, em 26 mil escolas, que apresentaram dificuldades na alfabetização e mesmo baixo letramento no último Censo Escolar.

O Programa Nacional pela Idade Certa (Pnaic), Mais Educação e Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) formam o novo programa.

No Mais Educação, serão oferecidas três horas de atividades além das já ofertadas, totalizando seis horas de acompanhamento pedagógico com foco em alfabetização e letramento. Por meio do Pnaic, as escolas receberão um coordenador específico para desenvolver atividades de alfabetização e letramento. Além disso, será realizado reforço com alunos do quarto ao nono ano com aprendizado básico incompleto.

As coordenações estaduais, regionais e municipais do Pnaic também estão sendo fortalecidas e as políticas de alfabetização estão sendo alinhadas na medida em que os estados aderem ao pacto. Além das 26 mil escolas prioritárias, as demais também poderão contar com formação continuada de coordenadores e professores alfabetizadores.

O Pibid, que oferece aos estudantes das licenciaturas e da pedagogia bolsas para estágio em escolas públicas, atendia apenas 1.600 das escolas com resultado insatisfatório em alfabetização e letramento. Agora, reformulado, passará a contemplar 10 mil dessas instituições de ensino.


Atenção: As questões a seguir são referentes ao Art. 11-A. da PORTARIA N. 155, DE 22 DE MARÇO DE 2016 - Considera-se professor alfabetizador, para fins de participação da Formação e recebimento de bolsa de estudo, o profissional que atenda aos seguintes requisitos cumulativos:

Obs.: Os trechos grifados em amarelo são informações complementares que não estão na portaria.

I - Estar cadastrado no Censo Escolar disponível no momento da constituição da turma de professores alfabetizadores; - necessário para receber bolsa

II - Estar no exercício da função docente em turmas do 1º, 2o, 3o ano do Ensino Fundamental e/ou nas classes multisseriadas que possuem alunos desses anos; e

III - Estar no exercício da função docente em turmas do 4o ao 9o ano do Ensino Fundamental, atuando em programas de apoio à extensão da jornada escolar com foco nas questões relativas à alfabetização e ao letramento (Mais Educação - Macrocampo: Acompanhamento Pedagógico), nas escolas com baixo desempenho na Prova Brasil (Escolas Prioritárias), identificadas pelo MEC.


H.       Meu município precisa aderir ao programa Mais Educação para participar do Pacto?
Não, não é obrigatório (ver questão I também).

I.          E se meu município desejar cadastrar professores alfabetizadores que estão no exercício da função docente em turmas do 4º ao 9º ano, atuando em programas de apoio à extensão da jornada escolar (Mais Educação) nas escolas prioritárias no Pacto, devemos então aderir ao Mais Educação?

Sim, para cadastrar professores que estão no exercício da função docente em turmas do 4º ao 9º ano, atuando em programas de apoio à extensão da jornada escolar nas escolas prioritárias é obrigatório que Município e Escola Prioritária efetuem a adesão ao Mais Educação (Macrocampo: Acompanhamento Pedagógico).
ATENÇÃO: Precisa necessariamente ser no Macrocampo: Acompanhamento Pedagógico.
Lembrando que o município pode aderir ao Mais Educação pelo sistema PAR, disponível para o Dirigente Municipal de Educação no SIMEC, e a Escola Prioritária pode aderir ao Mais Educação pelo PDDE Interativo, disponível para os Diretores das Unidades Escolares.

J.        Meu município e as respectivas escolas prioritárias efetuarão a adesão ao Mais Educação, mas em outro Macrocampo, por exemplo: meio ambiente; esporte e lazer; direitos humanos em educação, cultura e artes, etc. Posso cadastrar professores que estão no exercício da função docente em turmas do 4º ao 9º ano, atuando em programas de apoio à extensão da jornada escolar nas escolas prioritárias nesses outros Macrocampos sem ser o de Acompanhamento Pedagógico?

Não, só podem participar professores que estão no exercício da função docente em turmas do 4º ao 9º ano, atuando em programas de apoio à extensão da jornada escolar (Mais Educação) nas escolas prioritárias que atuam no Macrocampo Acompanhamento Pedagógico.

K.       Em relação ao item III, Art. 11-A. da PORTARIA N. 155, DE 22 DE MARÇO DE 2016 gostaríamos de saber quais são exatamente os programas de apoio à extensão da jornada escolar com foco nas questões relativas à alfabetização e ao letramento? São apenas programas promovidos pelo MEC ou podem ser projetos/programas desenvolvidos pelo próprio município?

Na condição do item III do referido artigo acima citado só podem ser cadastrados professores que atuam no Mais educação (Macrocampo: “Acompanhamento Pedagógico) nas escolas prioritárias listadas no Sispacto 2016, ou seja, NÃO pode ser outro programa/projeto desenvolvido pelo município.

L.       Sobre o trecho do texto destacado a seguir “Item III, Art. 11-A. da PORTARIA N. 155, DE 22 DE MARÇO DE 2016 - estar no exercício da função docente em turmas do 4o ao 9o ano do Ensino Fundamental, atuando em programas de apoio à extensão da jornada escolar com foco nas questões relativas à alfabetização e ao letramento, nas escolas com baixo desempenho na Prova Brasil, identificadas pelo MEC.”. A dúvida é: Necessariamente os professores devem atuar nesses programas de apoio à extensão da jornada escolar ou os professores regulares das turmas de 4º ao 9º ano podem participar?

Os professores regulares das turmas de 4º ao 9º ano NÃO podem participar do PNAIC.

M.       Professores que participam do Mais Educação mas não atuam nas escolas prioritárias podem participar?

Não, esses professores não podem participar. Precisa obrigatoriamente atuar nas escolas prioritárias.

N.       Já vi que o Sispacto 2016 lista quais são as escolas prioritárias, porém não sei quem são os professores que atuam em salas de 4º ao 9º ano em programas de apoio a extensão da jornada escolar, conforme Item III, Art. 11-A. da PORTARIA N. 155, DE 22 DE MARÇO DE 2016, como saber quem são esses docentes?

A orientação do MEC é que, por enquanto, o coordenador local efetue contato diretamente com a escola para verificar quem são esses professores - até o Ministério verificar a possibilidade de disponibilizar a opção de realizar a consulta no próprio sistema.

O.       Professores de outras áreas, como por exemplo: ciências, artes; poderão ser cadastrados como professor alfabetizador no SIMEC 2016, assim como foi permitido no ano passado?

Sim, podem ser cadastrados e receberão bolsa – desde que atuem em sala dos anos iniciais (1º ao 3º ano) e atendam os requisitos exigidos no Art. 11-A. da PORTARIA N. 155, DE 22 DE MARÇO DE 2016.